A Doença

A rubéola é uma doença viral transmitida de pessoa para pessoa por gotículas de saliva eliminadas por tosse ou espirros.

Caracteriza-se por febre e erupções avermelhadas na pele, que permanecem por dois a três dias. Geralmente apresenta-se de forma leve em crianças ou adultos. As principais complicações se relacionam a mulheres que contraem a doença nas fases iniciais da gravidez. Surdez, problemas cardíacos e retardo no desenvolvimento são as principais sequelas encontradas em crianças que se infectaram na fase de gestação.

A Vacina

A vacina para rubéola é produzida com vírus vivo e atenuado, e está combinada às vacinas contra sarampo e caxumba. Ela é chamada de SRC (sarampo, caxumba e rubéola) ou MMR (sigla usada em inglês). Essa combinação é extremamente segura e eficaz, gerando excelente resposta do organismo em 95% das pessoas vacinadas. Devem ser aplicadas duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre os quatro e seis anos de idade.

Os efeitos adversos mais comuns são dor local, edema e inchaço. Podem ocorrer também febre e vermelhidão na pele, cinco a dez dias após a vacinação. Trata-se de uma reação sem gravidade, relacionada ao vírus do sarampo usado na vacina. Podem surgir também dores nas articulações, principalmente em mulheres que tomaram a vacina, causadas pelo vírus da rubéola.

Raramente, o vírus da caxumba pode levar a quadros leves de inflamação dos testículos, dos ovários e/ou das glândulas parótidas.

Recomenda-se que a gravidez seja evitada por pelo menos três meses após a aplicação da vacina.

Retirada de Exame